COIMBRA - LISBOA - ALENQUER

16 E 17 DE
JUNHO DE 2016

14 E 15 DE
SETEMBRO DE 2016

16, 17 E 18 DE
SETEMBRO DE 2016


CONGRESSO INTERNACIONAL DO

ESPIRITO SANTO


GÉNESE, EVOLUÇÃO E ATUALIDADE DA UTOPIA
DA FRATERNIDADE UNIVERSAL

A esperança na possibilidade da construção de um futuro mais justo e mais fraterno que institua um mundo melhor está inscrita em todas as culturas humanas desde os tempos mais remotos. É uma aspiração que alicerçou a dimensão mais humanizadora da cultura e constitui o móbil da elaboração de utopias que conheceram especial fortuna no milénio passado e que fecundaram o pensamento universal, especialmente desde a Modernidade.

O ano de 2016 merece ser salientado precisamente como um ano particularmente relevante para revisitar a história do pensamento utópico português e internacional, pois assinalam-se marcos centenariais de maior significado na relação com a esperança de uma palingenesia para a humanidade.

Uma das tradições mais fecundas e inspiradoras de construções utópicas que refundam a espera da possibilidade de construção da fraternidade universal é a chamada corrente joaquimita do anúncio da Terceira Idade da História. O chamado Joaquimismo tem como matriz a teologia da História do monge calabrês Joaquim de Flora. A base da sua reflexão teológica alicerça-se numa exegese bíblica que procura um nexo concordacionista entre Antigo e Novo Testamentos, assente numa interpretação particular da teologia trinitária na sua relação modeladora diferenciada da história humana. A esta luz, a caminhada soteriológica da humanidade é entendida em linha evolutiva ascendente, visando uma perfetibilidade maior, que se consumaria num último estádio do tempo terreno por graça especialmente da Terceira Pessoa da Trindade Divina – o Espírito Santo. A utopia da Terceira Idade, que atenderia ao ideal evangélico de paz, justiça, fraternidade, santidade, relação mais íntima com Deus, paridade, indistinção de raças, nações e estatutos sociais, esteve na base da fundação das confrarias e das Festas do Espírito Santo, que teriam tido a sua génese na Baixa Idade Média em Portugal. Estas celebrações festivas, que ganharam projeção com a expansão portuguesa, persistindo vivas especialmente nas rotas globais das diásporas emigrantes açorianas e também madeirenses, são dadas como tendo origem em Alenquer e no gesto fundador da Rainha Isabel de Aragão, esposa de D. Dinis.

Para reunir, conhecer melhor e celebrar com os que se interessam pelas “tradições do Espírito Santo” têm-se, de alguns anos a esta parte, realizado regularmente congressos internacionais dedicados a este caleidoscópico campo temático, tanto nos Açores, como no Brasil, nos Estados Unidos e no Canadá.

A Câmara Municipal de Alenquer entendeu por bem promover pela primeira vez em Portugal continental, em parceria com a Confraria de Santa Isabel de Coimbra e em cooperação com o CLEPUL da Universidade de Lisboa, o Centro de Estudos Clássicos e Humanísticos da Universidade de Coimbra, o Centro de História da Sociedade e da Cultura, e outras instituições científicas nacionais e internacionais, um grande congresso internacional do Espírito Santo. Este evento científico, sob o largo tema do Espírito Santo e a sua fecundação de utopias de concórdia, fraternidade, harmonia, paz e justiça sobre a terra, propõe-se também assinalar a passagem de cinco importantes datas centenariais que se interligam na esperança ativa da construção de um mundo unido e melhor:


Os 800 Anos da Fundação da Ordem Franciscana e a relevância dos Franciscanos na promoção das festas do Espírito Santo e da expectativa da chegada de uma era de paz e fraternidade universal entre os homens e mulheres do mundo inteiro.
Os 500 Anos da Beatificação da Rainha Santa Isabel, com o seu exemplo de vida e de caridade cristã, modelar para a promoção do clima de paz, harmonia, concórdia e fraternidade, na esteira da espiritualidade franciscana, bem como o papel pioneiro que lhe é atribuído como patrona de tradições celebrativas e de confrarias do Espírito Santo, marcando a sua génese na vila de Alenquer.
Os 500 Anos do Primeiro Compromisso Impresso das Misericórdias, que representam em Portugal uma moderna e original iniciativa prática de institucionalização da utopia da solidariedade e fraternidade, herdeiras de experiências confraternais de origem medieval como as confrarias do Espírito Santo, mas exibindo um pendor universalista, que representa e anuncia o advento de sociedades mais equânimes, solidárias e atentas aos mais frágeis e desprotegidos.
Os 500 Anos da publicação da Utopia de São Tomás Moro, que cunha o conceito que passou a servir para designar os projetos de uma vida em sociedade mais bem governada e harmónica, projeto ainda não concretizado, mas reconhecido como possível.
Os 300 Anos da criação do Patriarcado de Lisboa que, de algum modo, significa o reconhecimento da centralidade de Lisboa no processo moderno de globalização do cristianismo e do lugar de liderança que lhe foi atribuído pelo pensamento utópico português e não só na inauguração de uma nova ordem mundial em nome do ideal da fraternidade e da concórdia entre todo o género humano.

Este congresso decorrerá em 3 momentos: na Universidade de Coimbra, na Fundação Calouste Gulbenkian e na Câmara de Alenquer. O evento está aberto quer à participação de estudiosos que desenvolvem ou pretendam desenvolver investigação e apresentar conhecimento crítico inovador no quadro dos painéis temáticos previstos para a arquitetura programática do congresso, quer a grupos e a pessoas individuais que queiram apresentar performances ou vivências de tradições do Espírito Santo, previstas para os dois últimos dias.

Pretende-se, pois, que este congresso internacional seja um espaço de encontro fraterno e de partilha, que promova pesquisa e investigação aprofundada em torno das efemérides assinaladas, e que, simultaneamente, possa dar a conhecer, do ponto de vista da cultura popular, o que se vive e se recria nas comunidades internacionais da diáspora portuguesa em torno das tradições do Espírito Santo.

No dias que correm, marcados por um profundo sentimento de crise e de incerteza em relação a um futuro de paz no mundo e de equilíbrio ecológico, revisitar a génese e a evolução da utopia da fraternidade universal, as suas tradições e tentativas de concretização pode ajudar-nos a repensar a sua atualidade e inspirar-nos a projetar futuros possíveis, fundados na esperança ativa de um mundo mais justo e mais harmonioso.

É essa a grande função da utopia, realizar a palingenesia: atualizar a esperança e afrontar a crise, o sentimento de depressão e de ruína moral e ética do presente, para encontrar caminhos de superação e de progresso em favor do melhoramento da vida humana, em harmonia e felicidade na nossa casa comum que é o planeta terra; atualizar e recriar em cada tempo a utopia e a utopia inspirada nos valores humanizadores e plenificadores do Espírito Paráclito, contribuindo, assim, para uma reflexão sobre a cidadania do futuro.



CONFERENCISTAS CONVIDADOS

EM CONSTITUIÇÃO


Encontra-se aberto o período de apresentação de propostas para participação nas sessões científicas do congresso com comunicação académica.

Para formalizar a apresentação de proposta de comunicação enviar para o e-mail do Secretariado Executivo: resumo da comunicação (máx. 2500 caracteres sem espaços), cinco palavras-chaves, indicação do(s) painel(éis) temático(s) em que pretende que a sua comunicação seja integrada, resenha biográfica (máx. 15 linhas) e comprovativo de pagamento da inscrição (ver valor e formas de pagamento em Inscrições).


PAINÉIS TEMÁTICOS

Pneumatologia e Teologias da História
Joaquim de Flora, a Doutrina das Três Idades e Joaquimismo
Metamorfoses da utopia da Terceira Idade da História
Posteridade espiritual e filosófica de Joaquim de Flora
Teologia do Espírito na Reforma Protestante e na Contra-Reforma Católica
A Rainha Santa Isabel - Santos enquanto espelho do Amor de Deus
A Rainha Santa Isabel - Santidade e Cristianismo
As devoções da Rainha Santa Isabel: as tradições e instituições do Espírito Santo
As devoções da Rainha Santa Isabel: a devoção à Imaculada Conceição de Maria
A Rainha Santa enquanto agente cultural
A Rainha Santa na Arte
A Rainha Santa na Literatura
A Rainha Santa Isabel: Culto e memória dos santos
A Rainha Santa Isabel: Cristianismo e intervenção social
A Rainha Santa Isabel: Religião e política
A Rainha Santa Isabel e a tradição franciscana
Cultura e Humanismo no séc. XVI
Cristianismo e Culturas no séc. XVI
A proliferação das confrarias do Espírito Santo e seu significado
Génese medieval das confrarias e das Festas do Espírito Santo
Fundação e ação dos Franciscanos na promoção do Joaquimismo
Franciscanos na criação de tradições e instituições paracletianas
Evolução e expressões modernas das Festas Paracletianas
Diáspora Portuguesa e Festa do Espírito Santo
Filosofia Portuguesa, a tradição joaquimita e o Espírito Santo
O Espírito Santo e a utopia do Quinto Império
Expansão Portuguesa e globalização das tradições do Espírito Paráclito e da devoção à Rainha Santa
A criação das Misericórdias e as experiências confraternais dedicadas ao Espírito Santo
Misericórdias e a institucionalização da utopia da Fraternidade Universal
Consciência de crise e a afirmação moderna do pensamento utópico
A fortuna da ideia e do conceito de utopia na Época Moderna
A Utopia de São Tomás Moro e a sua recriação
O pensamento utópico em Portugal: influências e originalidades
A fundação do Patriarcado de Lisboa e o lugar da capital portuguesa no quadro do pensamento utópico
O Espírito Santo, a utopia da Fraternidade Universal e a História das Ideias de Portugal
Atualidade do pensamento utópico e traduções contemporâneas da utopia da Fraternidade Universal
Espírito Santo: Arte e Utopia

COIMBRA 16 e 17 de Junho de 2016
"MAIS SANTA PORQUE RAINHA"

MANHÃ

08H30
RECEPÇÃO DOS CONGRESSISTAS

09H00
SESSÃO DE ABERTURA (Auditório da Reitoria a UC)
Reitor da Universidade de Coimbra
Bispo de Coimbra
Presidente do Turismo do Centro
Diretor da Faculdade de Letras (UC)
Presidente da Câmara Municipal de Alenquer
Presidente da Confraria da Rainha Santa Isabel
Presidente da Comissão Organizadora

09H15
CONFERÊNCIA DE ABERTURA (Auditório da Reitoria da UC)
Presidente de Mesa: Manuel Lopes Porto (Universidade de Coimbra, Centro Académico de Democracia Cristã – C.A.D.C.)
Os Santos enquanto espelho do Amor de Deus
D. Virgílio Antunes (Bispo de Coimbra)

10H00
SESSÃO PLENÁRIA (Auditório da Reitoria da UC)
Santidade e Cristianismo
Presidente de Mesa: Armando Lopes Porto (Universidade de Coimbra, Santa Casa da Misericórdia de Coimbra, CADC, Confraria da Rainha Santa Isabel)
A dimensão canónica da canonização
Pedro Miranda (Diocese de Coimbra)
"ÉRADES BOA PERA REI": O carisma da secularidade na vida da Rainha Santa Isabel
Gonçalo Portocarrero de Almada (Universidade Católica Portuguesa)

Debate

11H00
INTERVALO

11H15
SESSÃO PLENÁRIA (Auditório da Reitoria da UC)
Culto e Memória dos Santos
Presidente de Mesa: José Carlos Seabra Pereira (Universidade de Coimbra, CIEC, SNPC, CADC)
Santa Isabel de Portugal nos séculos XVI-XVII – Um modelo hagiográfica de heroísmo e excelência de virtudes
Carlota Urbano (Universidade de Coimbra, CECH, APENEL, CADC, Confraria da Rainha Santa Isabel)
A glorificação épica da Rainha Santa no Certame Poético académico de 1625: Pro S. Elizabetha, de Frei Francisco de Santo Agostinho de Macedo
Manuel Ferro (Universidade de Coimbra, CIEC)
Evolução do culto à Rainha Santa
António Rebelo (Universidade de Coimbra, CECH, APENEL, SPEM, CADC, Confraria da Rainha Santa Isabel)

Debate

12H45
ALMOÇO

TARDE

14H30
SESSÃO PLENÁRIA (Auditório da Reitoria da UC)
Santa Isabel na Literatura
Presidente de Mesa: Manuel Ferro (Universidade de Coimbra, CIEC)
Simplicidade e elegância estéticas de Vida e Milagres da Gloriosa Raynha Sancta Isabel de Diogo Afonso
Albano de Figueiredo (Universidade de Coimbra, CIEC, SPEM)
O Sermão à Rainha Santa do P. António Vieira
Belmiro Pereira (Universidade do Porto, CECH, SPR, APENEL)
Visitação literária a Santa Isabel
José Carlos Seabra Pereira (Universidade de Coimbra, CIEC, SNPC, CADC)

Debate

16H15
INTERVALO

SESSÕES SEMI-PLENÁRIAS

16H30
SEMI-PLENÁRIA I (Auditório da Reitoria da UC)
Culto ao Espírito Santo
Presidente de Mesa: Albano Figueiredo (Universidade de Coimbra, CIEC, SPEM)
Frades, gafos e cavaleiros: o culto do espírito Santo no Portugal Medieval
Pedro Picoito (Universidade Nova de Lisboa)
O culto à Rainha Isabel: a reconstrução da memória da Santa e a renovação dos valores cristãos
Ana Carine Cerva (Universidade Federal do Rio Grande do Sul - PGGS)

16H30
SEMI-PLENÁRIA II (Auditório IV da FLUC)
Leituras da utopia
Presidente de Mesa: Belmiro Pereira (Universidade do Porto, CECH, SPR, APENEL)
1050 anos da presença da Polónia na Respublica Christiana. As comemorações do aniversário do baptismo
polaco nas perspectivas europeia e ibero-eslava.

Beata Cieszynska (Universidade de Lisboa, CLEPUL)/CompaRes)
A Festa do Divino Espírito Santo e o Património Imaterial Brasileiro
Paulo de Assunção (Universidade Estadual de Maringá)

Debate

17H30
SESSÃO PLENÁRIA (Auditório da Reitoria da UC)
Devoção e espiritualidade
Presidente de Mesa: Margarida Miranda (Universidade de Coimbra)
Santos de tradição franciscana
Saul António Gomes (Universidade de Coimbra, CHSC, APENEL, SPEM, Confraria da Rainha Santa Isabel)
A Questão da Santíssima Trindade em Isaac de Sequeira Samuda
Manuel Curado (Universidade do Minho)

PROGRAMA SOCIAL
18H45
Espumante de honra na varanda superior à Via Latina
21H30
Concerto na Biblioteca Joanina

MANHÃ

09H00
SESSÃO PARALELA I (Auditório da Reitoria da UC)
Santa Isabel e a arte
Presidente de Mesa: Lourdes Cidraes (Universidade de Lisboa, CLEPUL)
Poder, devoção e identidade nas encomendas artísticas da Rainha Santa
Francisco Pato de Macedo (Universidade de Coimbra, CEAACP)
Devoção e condição peregrina: A relíquia-bordão da Rainha Santa Isabel.
Milton Pacheco (Confraria da Rainha Santa Isabel)

SESSÃO PARALELA II (Auditório IV da FLUC)
Expressões internacionais do paracletianismo
Presidente de Mesa: José Eduardo Franco (Universidade Aberta, CIDH/CLEPUL)
A crença no Espírito Santo como factor facilitador da implantação do protestantismo no Brasil
Lídice Ribeiro (Universidade Presbiteriana Mackenzie)
A Cultura do Espírito Santo ou a Globalização da Acção Compassiva
Ana Reis (Escola Superior de Enfermagem do Porto)
Susana Rosa (Universidade de Lisboa, CLEPUL)
A Terceira Era e a Festa do Espírito Santo
Antonio Rosemberg de Moura e Maria Juraci Maia Cavalcante

Debate

10H15
PAINEL TEMÁTICO (Auditório da Reitoria da UC)
Imagens da Rainha Santa Isabel na arte portuguesa:
Os painéis de azulejo da igreja do antigo convento do Bom Jesus de Monforte
Presidente de Mesa: Milton Pacheco (Confraria da Rainha Santa Isabel, CIEC)
As desaparecidas pinturas de brutesco da igreja do Convento do Bom Jesus de Monforte
Vítor Serrão (Universidade de Lisboa) e
José Inácio Militão Silva (Câmara Municipal de Monforte)
Os painéis da Rainha Santa Isabel do Convento do Bom Jesus de Monforte. Um singular programa iconográfico.
M. Lourdes Cidraes (Universidade de Lisboa)
A autoria dos azulejos do Convento do Bom Jesus de Monforte
José Meco (Academia Nacional de Belas Artes)
Montagem e inventariação dos painéis de azulejo do Convento do Bom Jesus de Monforte
Paula Morgado (Câmara Municipal de Monforte)

Debate

11H30
INTERVALO

SESSÕES PARALELAS

11H45
SESSÃO PARALELA I (Auditório da Reitoria da UC)
Rainha Santa Isabel: modelações na arte
Presidente de Mesa: Saul Gomes (Universidade de Coimbra, CHSC)
De Rainha a Santa: a evolução da iconografia de D. Isabel de Aragão, esposa do rei D. Dinis, através dos séculos (XIV-XX)
Giulia Rossi Vairo (Universidade Nova de Lisboa)
Worship and imagination of Elisabeth of Portugal in the low countries 17th and 18th century
Evelyne Verheggen (Universidade Católica Teológica de Tilburg/Utrecht)
Registos Azulejares da Rainha Santa em Portugal
Augusto Moutinho Borges e Adelaide Nabais (Universidade Aberta)

11H45
SESSÃO PARALELA II (Auditório IV da FLUC)
Leituras da utopia
Presidente de Mesa: Nair de Nazaré Castro Soares (Universidade de Coimbra, CECH, CADC, CRSI)
A utopia da fraternidade universal em Teixeira de Pascoaes
Maria Luísa de Castro Soares (Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro)
A União Lusófona: uma utopia?
Renato Epifânio (Universidade de Lisboa, CF)
Mons. José de Castro e a Santa e Real Casa da Misericórdia de Bragança
Henrique Manuel Pereira (UCP-Porto)

11H45
SESSÃO PARALELA III (Sala TP2 da FLUC)
Teologia e Espiritualidade
Presidente de Mesa: Carlota Urbano (Universidade de Coimbra, CECH, APENEL, CADC, CRSI)
Matrizes hagiográficas lusitanas para um santo franciscano de Apúlia (sécs. XVII-XVIII)
Paola Nestola (Universidade de Coimbra)
A rainha santa Isabel na literatura jesuítica: sobre a oratio de Duarte de Sande pronunciada em 1574 no Colégio das Artes em Coimbra
Mário Lopes da Silva (Universidade de Lisboa)

12H30
ALMOÇO

TARDE

14H30
SESSÃO PLENÁRIA (Auditório da Reitoria da UC)
Utopia de Tomás Moro
Presidente de Mesa: Irene Vaquinhas (Universidade de Coimbra, CHSC)
Utopia e Renascimento
Nair de Nazaré Castro Soares (Universidade de Coimbra, CECH, CADC, CRSI)
Utopia III de Pina Martins: Uma leitura ‘filosófica’ de Utopia de Thomas More
Fátima Vieira (Universidade do Porto)

Debate

15H30
INTERVALO

15H45
SESSÃO PLENÁRIA (Auditório da Reitoria da UC)
Expansão universal do culto ao Espírito Santo
Presidente de Mesa: José Pedro Paiva (Universidade de Coimbra)
O culto do Espírito Santo como património social do Açores
Avelino de Freitas Menezes (Universidade dos Açores)
O Espírito Santo e as raízes das festividades do Brasil
Mary Del Priore (Universidade de São Paulo)

17H00
INTERVALO

17H15
CONFERÊNCIA DE ENCERRAMENTO (Auditório da Reitoria da UC)
Presidente de Mesa: Maria Helena da Cruz Coelho (Universidade de Coimbra, CHSC, SPEM)
Elisabeth de Portugal: une sainte franciscaine?
André Vauchez (Univ. de Paris Ouest Nanterre)

18H00
SESSÃO DE ENCERRAMENTO (Auditório da Reitoria a UC)

PROGRAMA SOCIAL

17 de Junho de 2016
21H30
Concerto nos Claustros do Mosteiro de Santa Clara-a-Nova

18 de Junho de 2016
09H30
Visita guiada à cidade de Coimbra

LISBOA 14 e 15 de Setembro de 2016
"DAS UTOPIAS TEOLÓGICAS ÀS UTOPIAS ECOLÓGICAS"

MANHÃ

08H30
RECEPÇÃO DOS CONGRESSISTAS

09H00
SESSÃO DE ABERTURA (Anfiteatro II)
Reitor da Universidade Aberta
Presidente da Câmara de Alenquer
Presidente da Confraria de Santa Isabel de Coimbra
Presidente da Comissão Organizadora

09H30
CONFERÊNCIAS DE ABERTURAS (Auditório II)
Presidente de Mesa: José Eduardo Franco (Universidade Aberta, CIDH/CLEPUL)
A Utopia da Casa Comum na Era da Crise Ecológica
Viriato Soromenho-Marques (Universidade de Lisboa)

10H30
INTERVALO

11H00
SESSÃO PLENÁRIA (Auditório II)
Das velhas utopias às novas utopias
Presidente de Mesa: Manuela Mendonça (Academia Portuguesa da História)
As religiões nas narrativas utópicas
Luís Machado de Abreu (Universidade de Aveiro)
Utopias e dispotias políticas no século XX
Fabrice d’Almeida (Universidade de Paris II)
Utopia e constituição
Paulo Ferreira da Cunha (Universidade do Porto)
A utopia da ciência: "A Nova Atlântida" de Francis Bacon
Carlos Fiolhais (Universidade de Coimbra)

Debate

13H30
ALMOÇO

TARDE

14H45
SESSÃO PLENÁRIA (Auditório II)
Teologia, exegese e utopia de humanidade melhor
Presidente de Mesa: Paulo Mendes Pinto (Universidade Lusófona)
Ruaḥ ha-qodesh: Espírito Santo, Profecia e Plenitude nas escrituras judaicas
Edgard Leite (Universidade Federal do Rio de Janeiro)
Joaquimismo, Franciscanismo e o ideal do homem novo universal
Vítor Melícias (Ordem Franciscana)
De Jerusalém a Roma: A Utopia de um Cristianismo Universal - O Espírito Santo na Obra de Lucas
Herculano Alves (Revista Bíblica)
Um projecto de fraternidade universal: Os primeiros tempos da Ordem Hospitaleira de São João de Deus
Bernard Vincent (EHESS-Paris)
Platão e os Guaranis: utopias transatlânticas na obra De Administratione guaranica comparata ad Rempublicam Platonis commentarius de José Manuel Peramás
Gabrielle Cornelli (Universidade de Brasília/Cátedra UNESCO Archai)

Debate

16H15
INTERVALO

16H30
SESSÃO PLENÁRIA (Auditório II)
Espírito Santo e História
Presidente de Mesa: José Frazão (Companhia de Jesus)
Pneumatologia e agostinianismo
José da Silva Rosa (Universidade da Beira Interior)
Espírito Santo na Teologia da História: Da utopia à esperança
Jacinto Farias (Universidade Católica Portuguesa)
A resposta da teologia escolástica à pneumatologia de Joaquim de Fiore: Questões controversas
Alberta Maria Putti (Universidade Gregoriana)
Pneumatologia e progresso do cristianismo
José Paulo Leite de Abreu (Universidade Católica Portuguesa)
Secularismo e oclusão do Espírito
José Ignacio Ruiz Rodrigues (Universidade de Alcalá de Henares)

Debate

19H00
Porto de Honra oferecido pela Câmara Municipal de Lisboa

MANHÃ

09H00
SESSÃO PLENÁRIA (Auditório II)
Espírito na fecundação utópica do pensamento moderno
Presidente de Mesa: Manuel Barbosa (Conferência Episcopal Portuguesa)
O Ideal Renascentista de Fraternidade e Paz Universais na Escola Ibérica da Paz (Secs. XVI-XVII)
Pedro Calafate (Universidade de Lisboa, CF)
Do idolum utópico na escrita da História e do real no Portugal de Quinhentos
Ana Paula Avelar (Universidade Aberta - CHAM/UNL)
Utopias políticas modernas
João Relvão Caetano (Universidade Aberta, CIDH)
O Humanismo de São Tomás More (1516) entre a "Utopia" e a "Responsio ad Lutherum" (1523)
Manuel Augusto Rodrigues (Universidade de Coimbra, CHSC)

Debate

10H45
INTERVAL0

SESSÕES SEMI-PLENÁRIAS

11H00
SESSÃO SEMI-PLENÁRIA I (Auditório II)
Misericórdias: História, Cultura e Património (Painel especializado)
Presidente de Mesa: António Rego (Patriarcado de Lisboa)
As misericórdias em rede: cartas, testamentos e transferências de bens dos territórios da expansão para Portugal (séculos XVI-XVII)
Isabel dos Guimarães Sá
As misericórdias do Minho na Idade Moderna: Contextos e Dinâmicas
Maria Marta Lobo Araújo (Universidade do Minho)
As Misericórdias na Monarquia Constitucional: Poder, instrumentalização e serviço
Maria Antónia Lopes (Universidade de Coimbra)
O Pentacentenário do primeiro Compromisso impresso das Misericórdias: 1516-2016
Helga Maria Jüsten (Universidade Nova de Lisboa)
Santa Casa da Misericórdia de Viseu: 500 Anos de História
Ana Filipa Pinto (Universidade de Lisboa, CLEPUL)
Vera Magalhães (Universidade de Coimbra/Universidade de Lisboa, CLEPUL)

Debate

11H00
SESSÃO SEMI-PLENÁRIA II (Sala I)
Tradições e Festas do Espírito Santo: Património e Expressões culturais
Presidente de Mesa: João Relvão Caetano (Universidade Aberta)
O Mundo às avessas: Festa dos Loucos e Festas do Espírito Santo
Paulo Borges (Universidade de Lisboa, CF)
Em torno da tradição da instituição dos Impérios do Espírito Santo pela Rainha Santa Isabel
Manuel J. Gandra (Universidade de Lisboa, CLEPUL)
As festas do Divino nas Ilhas e no Brasil
Alberto Vieira (Centro de Estudos de História do Atlântico)
A Festa do Divino Espírito Santo: Vínculos Históricos Portugal/Brasil no Imaginário Religioso Popular
Maria Manuel Baptista (Universidade de Aveiro)
Alba Carvalho (Universidade de Aveiro)
As comemorações do Divino no Rio de Janeiro: Devoção negra e relações de poder no século XIX.
Martha Abreu (Universidade Federal Fluminense)

Debate

13H00
ALMOÇO

TARDE

14H30
SESSÃO SEMI-PLENÁRIA I (Auditório II)
Utopia e Globalização
Presidente de Mesa: Manuel Curado (Universidade do Minho)
Ecologia integral segundo Génesis 1
Armindo Vaz (Universidade Católica Portuguesa)
A utopia em A Estrela da Redenção do Franz Rosenzweig
Mendo Castro Henriques (Universidade Católica Portuguesa)
Utopia da fraternidade universal em Rainha Santa, festas do Espírito Santo e António Sérgio
Matilde Sousa Franco (Academia Portuguesa de História)
Utopia da Fraternidade universal em Chiara Lubich
Raul Augusto de Sousa Leite Silva (Movimento dos Focolares)
A utopia da Unidade e a sua realização através da fraternidade universal na vida e no pensamento de Chiara Lubich
Silvestre Ourives Marques (Universidade Católica Portuguesa, CEFI)
Sustentabilidade como utopia
Tom R. Burns (Universidade de Upssala/Universidade de Standford) e Nora Machado Johansson (Universidade Gothenburg)

14H30
SESSÃO SEMI-PLENÁRIA II (SALA I)
Patriarcado de Lisboa: Religião, Política e Património (Painel especializado)
Presidente de Mesa: Luís Machado de Abreu (Universidade de Aveiro)
Génese e fundação do Patriarcado de Lisboa
D. Francisco Senra Coelho (Bispo Auxiliar de Braga)
Memórias do Patriarcado
Fernando Cristóvão (Universidade de Lisboa)
Resgatado aos escombros: Algumas sobrevivências da igreja patriarcal de Lisboa
Sandra Costa Saldanha (Secretariado Nacional dos Bens Culturais da Igreja)

Debate

16H15
INTERVAL0

16H30
SESSÃO SEMI-PLENÁRIA I (Auditório II)
Direito, utopia e reformas
Presidente de Mesa: Rui Costa (Câmara Municipal de Alenquer)
A pomba, o pão e paz: Reflexões sobre Direito(s), Império(s) e Culto(s) do Espírito Santo
João Loureiro (Universidade de Coimbra)
Direito e Fraternidade
Pedro Vaz Patto (Movimento dos Focolares)
Cinema, utopia e conversão
Mário Avelar (Universidade Aberta - CHAM/UNL)

16H30
SESSÃO SEMI-PLENÁRIA II (Sala I)
Utopias e distopias
Presidente de Mesa: Alberto Vieira (Centro de Estudos de História do Atlântico)
A Misericórdia enquanto utopia possível
José Eduardo Franco (Universidade Aberta, CIDH)
Joana Balsa de Pinho (Universidade Aberta, CIDH)
Entre milenarismo e utopia: Identidades protestantes na Europa da Reforma ao Iluminismo
Christine Vogel (Universidade de Vechtia)
Identidade humana e mitos das origens no universo da utopia e da distopia
Jorge Bastos da Silva (Universidade do Porto)

18H00
CONFERÊNCIAS DE ENCERRAMENTO (Auditório II)
Presidente de Mesa: Mário Avelar (Universidade Aberta)
Utopia, globalização e lusofonia
Guilherme d’Oliveira Martins (Fundação Calouste Gulbenkian)
Cultura do Espírito Santo: dar lugar carnal à utopia
D. Carlos Moreira Azevedo (Conselho Pontifício da Cultura)

19H00
SESSÃO DE ENCERRAMENTO (Auditório II)
Presidente do Governo Regional do Açores
Reitor do ISCTE
Director da CIDH

PROGRAMA SOCIAL

Atuação do Coro Jovens Vozes de Lisboa

ALENQUER 16, 17 e 18 de Setembro de 2016
"TRADIÇÕES DO ESPÍRITO SANTO: GÉNESES, METAMORFOSES E ACTUALIDADES"

MANHÃ

08H30
RECEPÇÃO DOS CONGRESSISTAS

09H00
SESSÃO DE ABERTURA (Auditório Damião de Góis)
Presidente da Câmara Municipal de Alenquer
Presidente do Turismo do Centro
Presidente da Fundação Milenium BCP
Presidente da Comissão Científica
Presidente da Comissão Organizadora

09H15
CONFERÊNCIA DE ABERTURA (Auditório Damião de Góis)
Presidente de Mesa: António Rebelo (Universidade de Coimbra)
Crises, emancipação, utopias: as iniciações cívicas (Jugendweihe) na Alemanha
Jorge Freitas Branco (ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa)

09H40
INTERVALO

10H00
SESSÃO SEMI-PLENÁRIA I (Auditório Damião de Góis)
Culto e figurações do Espírito Santo
Presidente de Mesa: Francisco d’Orey Manoel (Santa Casa da Misericórdia de Lisboa)
Figurações da Pomba do Espírito Santo na Arquitectura em Portugal
Augusto Moutinho Borges (Universidade Aberta, CIDH)
Sandra Gameiro Baptista (Universidade Lusíada)
O culto ao Espírito Santo – a força maior dos Açores
Maria Jesus Maciel (Universidade do Porto, CITCEM)

10H00
SESSÃO SEMI-PLENÁRIA II (Sala de Atos da Câmara de Alenquer)
Ideias e projetos de homem novo e sociedades novas
Presidente de Mesa: Carlos Morujão (Universidade Católica Portuguesa)
A procura da universalidade ética em o Médico Político de Rodrigo de Castro
Adelino Cardoso (Universidade Nova de Lisboa)
A Internet como Espírito Santo Laico: O Luminar de Jünger e o Imaginário da Internet como Utopia Contemporânea
Manuel Curado (Universidade do Minho)

Debate

11H30
INTERVALO

11H45
CONFERÊNCIAS (Auditório Damião de Góis)
Espírito Santo e pensamento filosófico
Presidente de Mesa: Annabela Rita (Universidade de Lisboa, CLEPUL)
A inenarrável Spiratio: Uma aproximação metafísica na Teologia de Santo Anselmo
Maria Leonor Xavier (Universidade de Lisboa, CF)
A ilha da utopia e a Abadia de Thélème: Dois universos contraditórios ou complementares?
Carlos Morujão (Universidade Católica Portuguesa, CEFI)
Francis Bacon e uma utopia do domínio
Maria Luísa Ribeiro Ferreira (Universidade de Lisboa, CF)

Debate

13H30
ALMOÇO

TARDE

14H30
SESSÃO PLENÁRIA (Auditório Damião de Góis)
Tradições do Espírito Santo: cultura e identidade nos Açores
Presidente de Mesa: Luísa Paolinelli (Universidade da Madeira)
Paz, união e convívio. Festas do Espírito Santo no Canadá
Ilda Januário (Universidade de Toronto/CRIA-UNL)
As festas do Divino e a açorianidade – A historicidade de uma devoção comunitária
Fernanda Enes (Universidade Nova de Lisboa
O enquadramento juscanónico das tradições e cultos do Espírito Santo
Hélder Miranda Alexandre (Seminário Maior da Diocese dos Açores)

Debate

16H15
INTERVALO

SESSÕES PARALELAS

16H30
SESSÃO PARALELA I (Auditório Damião de Góis)
Paracletianismo e Utopia na Literatura, na Filosofia e na Arte
Presidente de Mesa: Maria Luísa Ribeiro Ferreira (Universidade de Lisboa)
O Perdão como Utopia: Um Princípio de Ação entre o Passado e o Futuro
Rui Rego (Universidade Aberta, CIDH – Universidade de Lisboa, CLEPUL)
Pentaecologia: proposições utopísticas para (a)catar um sentido feliz para o desenvolvimento
Ana de Campos Leitão (Universidade de Lisboa)
O Espirito e o Espírito Santo em alguns dos últimos elos da tradição espiritual portuguesa: Antero de Quental, Fernando Pessoa e Agostinho da Silva
Pedro Teixeira da Mota (Instituto Açoriano de Cultura)
A utopia/Distopia do Petróleo
António Pereira (Universidade de Lisboa, CLEPUL)

16H30
SESSÃO PARALELA II (Sala de Atos da Câmara de Alenquer)
Espírito Santo, Escatologia e utopia da comunidade perfeita
Presidente de Mesa: Paulo Rocha (Agência Ecclesia)
Tomás Escoto na Leitura de Álvaro Pais
Maria de Lourdes Sirgado Ganho (Universidade Católica Portuguesa, CEFI)
Fundamentos de uma comunidade em Santo António de Lisboa
Teresa Cerejo (Universidade Católica Portuguesa, CEFI)
Esperança e utopia: Uma leitura tomista
Inês Bolinhas (Universidade Católica Portuguesa, CEFi)
What can be called ‘holy’? The Soli Deo gloria principle in 16th-century religious polemics
Patrycja Potoniec (Institute of Literary Research/Polish Academy of Sciences)
Gabriel Malagrida e o Anticristo: Um discernimento apocalíptico da Modernidade
Edgard Leite (Universidade Federal do Rio de Janeiro)

16H30
SESSÃO PARALELA III (Capela do Espírito Santo)
Misericórdias: Arte e Património (Painel especializado)
Presidente de Mesa: Augusto Moutinho Borges (Universidade Aberta, CIDH/CLEPUL)
A antiga igreja manuelina da Misericórdia de Lisboa e o tempo longo
Gonçalo Amaro (Universidade Nova de Lisboa IHC)
Imagens de piedade: as “artes da cal” nas Misericórdias do Alentejo
Patrícia A. R. Monteiro (Universidade de Lisboa, CLEPUL)
A música no contexto da acção e papel social da Misericórdia de Braga nos séculos XVII e XVIII
Elisa Lessa (Universidade do Minho)

16H30
SESSÃO PARALELA IV (Museu João Mário)
Cultura Paracletianiana e franciscana: Simbólica, figuras e espiritualidades
Presidente de Mesa: Cristina Trindade (Universidade Aberta, CIDH/CLEPUL)
Espírito Santo: Arte e Utopia
Maria Antónia Jardim (Universidade de Lisboa, CLEPUL)
Nos 370 anos da Providência Régia: a Imaculada Conceição e a identidade nacional
Annabela Rita (Universidade de Lisboa, CLEPUL)
Simbólica e efeitos históricos – Espírito Santo para lá da espiritualidade
Alexandre Honrado (Universidade Lusófona)
Congregação do Espírito Santo - 150 anos de Missão em Portugal
Tony Neves (Universidade Católica Portuguesa, CEHR)
A Ilha como utopia: Um abordagem literária ibero-eslava
Arijana Medvedec (Universidade de Lisboa, CLEPUL)

16H30
SESSÃO PARALELA V (Museu do Vinho)
Cultura Paracletianiana e franciscana: Simbólica, figuras e espiritualidades
Presidente de Mesa: Jacinto Jardim (Universidade de Aveiro)
A Rainha Santa Isabel na voz da poesia neolatina de Coimbra
Sebastião Tavares de Pinho (Universidade de Coimbra, CECH, APENEL, SPEM, CADC)
O ciclo da água na arquitetura franciscana portuguesa: Casos de estudo
Patrícia Alho (Universidade de Lisboa)
“Keep your eyes on the stars, and your feet on the ground”: a imagem do santo dos voos S. José de Cupertino entre Itália e Portugal.
Paola Nestola (Universidade de Coimbra)
Das flores e dos Santos: significado das flores no contexto hagiográfico
Isabel Bastos (CEPESE)
St. Isabella of Portugal versus saint women depicted in Żywoty Świętych by Piotr Skarga: the model of female piousness
Ewa Cybulska-Bohuszewicz (Institute of Literary Research, Poland)

19h00
Programa cultural
Alenquer Wine Weekend

MANHÃ

SESSÕES SEMI-PLENÁRIAS

09H00
SESSÃO SEMI-PLENÁRIA I (Auditório Damião de Góis)
Paracletianismo: movimentos, figuras e transformações sociais
Presidente de Mesa: Filipa Medeiros Araújo (Universidade de Coimbra)
Santa Isabel na Dramaturgia Portuguesa
Júlio Martín da Fonseca (Universidade de Lisboa, CLEPUL)
As Festas do Espírito Santo como programa Social
Hélder Fonseca (Seminário Maior da Diocese dos Açores)
Açorianidade e pentecostes em Vitorino Nemésio e Natália Correia
António Moniz (Universidade Nova de Lisboa)
O Espírito Santo Migrante – a Transnacionalidade Cultural.
Lélia Pereira da Silva Nunes (Academia Catarinense de Letras/IHGSC)

09H00
SESSÃO SEMI-PLENÁRIA II (Sala de Atos da Câmara de Alenquer)
Paracletianismo: movimentos, figuras e transformações sociais
Presidente de Mesa: Cristiana Lucas (Universidade Aberta, CIDH/CLEPUL)
Visões filosóficas do Espírito Santo em Portugal no século XX
Miguel Real (Universidade de Lisboa, CLEPUL)
O Último Europeu de Miguel Real: Reflexões sobre uma recriação textual contemporânea do género literário inventado por Thomas More
José Eduardo Reis (Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro)
A liturgia dos Impérios do Divino Espírito Santo
enquanto prelúdio da instauração da Terceira Idade da História
Manuel J. Gandra (Universidade de Lisboa, CLEPUL)
Messianismo político e movimentos sociais no período do Liberalismo
Fátima Sá (ISCTE)

Debate

10H45
INTERVALO

SESSÕES PARALELAS

11H15
SESSÃO PARALELA I (Auditório Damião de Góis)
Espiritualidades e utopia
Presidente de Mesa: Hélder Fonseca (Diocese de Angra)
A mística como utopia
Eugénia Magalhães (CIDH)
“Para viver no ser aberto / [...] como uma força fraterna”: a exigência da fraternidade na obra de António Ramos Rosa
Helena Carvalho (Universidade Aberta, CIDH – Universidade de Lisboa, CLEPUL)
Arte e utopia: A invenção das formas da natureza
Sandra Escobar (Universidade de Lisboa, CF)
O Espírito sopra onde quer? Liturgia, Teatro e Vida(s)
Noémia Simões (Instituto Superior de Engenharia)
Uma nova utopia para a Globalização
José Eduardo Franco (Universidade Aberta, CIDH)

11H15
SESSÃO PARALELA II (Sala de Atos da Câmara de Alenquer)
Espírito Santo nos filósofos e poetas contemporâneos
Presidente de Mesa: Miguel Real (Universidade de Lisboa, CLEPUL)
O Paracletismo de Raul Leal
Manuel Cândido Pimentel (Universidade Católica Portuguesa, CEFI)
A Idade do Espírito em Agostinho da Silva
Samuel Dimas (Universidade Católica Portuguesa, CEFI)
Agostinho da Silva, Joaquim de Flora e a demanda do Divino
Pedro Martins (Universidade Católica Portuguesa)
Da Natureza perecível ao homem remível: a iniciação como Templo do Espírito em António Quadros.
Sofia A. Carvalho (Universidade Aberta, CIDH – Universidade de Lisboa, CLEPUL)

11H15
SESSÃO PARALELA III (Museu do Vinho)
Pensamento e soluções utópicas
Presidente de Mesa: Rui Rego (CIDH/Universidade Aberta-CLEPUL-Universidade de Lisboa)
A aplicação do método na utopia do conhecimento no Iluminismo português
Paula Carreira (Universidade Aberta, CIDH – Universidade de Lisboa, CLEPUL)
Direitos Humanos enquanto Utopia: representações no quadro da Cultura Portuguesa
Susana Alves-Jesus (Universidade Aberta, CIDH – Universidade de Lisboa, CLEPUL)
A utopia do homem novo no pensamento de António Sérgio
Cristiana Lucas (Universidade Aberta, CIDH – Universidade de Lisboa, CLEPUL)

11H15
SESSÃO PARALELA IV (Auditório do Convento de São Francisco)
Cultura do Espírito Santo e franciscanismo na Madeira
Presidente de Mesa: Aida Lemos (Universidade Aberta, CIDH – Universidade de Lisboa, CLEPUL)
O espiritismo nos autores madeirenses da primeira metade do séc. XX - de Reis Gomes a Vasco Mimoso, entre ciência, cristianismo e fenómenos psíquicos ocultos
Luísa Paolinelli e Fernanda de Castro (Universidade de Madeira, CLEPUL)
Franciscanos na Madeira: territorialidade e conflito
Cristina Trindade (Universidade de Madeira, CLEPUL)
O Espírito Santo nas vivências festivas da Diáspora Madeirense
Maria Helena de Filipe (CIDH/Universidade Aberta-CLEPUL-Universidade de Lisboa) As Saloias do Espírito Santo no Arquipélago da Madeira Manifestação de Um Património Cultural e Linguístico
Helena Rebelo (Universidade da Madeira)
Bestiário do Espírito Santo na Madeira
Carlos Barradas (Universidade da Madeira, CLEPUL)

11H15
SESSÃO PARALELA V (Capela do Espírito Santo)
Paracletianismo, messianismo e utopia
Presidente de Mesa: Vanda Figueiredo (Universidade Aberta, CIDH/CLEPUL)
O Marranismo e o Culto do Espírito Santo em Portugal
António Carlos Carvalho (Movimento MIL)
Da tradição do Culto do Espírito Santo à Celebração ecuménica, na Arrábida, com o Pensamento de Agostinho da Silva, António Quadros e Dalila Pereira da Costa
Maurícia Teles da Silva (Associação Agostinho da Silva)
Messianismo e utopia na obra de Abel Tiago Vasconcelos
Osvaldo Vieira (ISCTE)

Debate

13H00
ALMOÇO

TARDE

SESSÕES SEMI-PLENÁRIAS

14H30
SESSÃO SEMI-PLENÁRIA I (Auditório Damião de Góis)
Festas do Espírito Santo no Brasil
Presidente de Mesa: Margarida Lalanda (Universidade dos Açores)
As Festas do Divino Em Santa Catarina: tradição e originalidade
Valmir Muraro (Universidade Federal de Santa Catarina)
As festas do divino Espírito Santo no Brasil entre os séculos XVI e XX
Paulo de Assunção (Universidade Estadual de Maringá)
Tradições do Espírito Santo, Religião e magia: A Insustentável leveza das fronteiras
Lídice Ribeiro (Universidade Presbiteriana Mackenzie)

14H30
SESSÃO SEMI-PLENÁRIA II (Sala de Atos da Câmara de Alenquer)
Espírito Santo e Franciscanismo no Brasil
Presidente de Mesa: Porfírio Pinto (Universidade de Lisboa, CIDH/CLEPUL)
Empreender o combate: mediatização, identidade e simbolismo do Divino Espírito Santo no Sul da América
Ada Silveira (Universidade de Santa Maria)
Franciscanos, Jesuítas e o Seminário de Santa Fé em Goa (século XVI)
Célia Cristina da Silva Tavares (Universidade Estadual do Rio de Janeiro)
Nossa Senhora de Fátima e a Expansão Missionária dos Capuchinhos do Sul do Brasil
Delmir José Valentini (Universidade Federal da Fronteira Sul)

Debate

16H00
INTERVALO

SESSÕES PARALELAS

16H30
SESSÃO PARALELA I (Auditório Damião de Góis)
Educação, língua e utopia
Presidente de Mesa: Paulo de Assunção (Universidade de Lisboa, CIDH/CLEPUL)
Educação como utopia e utopias da Educação
Jacinto Jardim (Universidade de Aveiro)
A Língua como utopia e as distopias dos projectos de línguas universais
Liliana Romão (Universidade de Lisboa)
A utopia educativa do movimento da Escola Moderna
Rita Balsa Pinho (Universidade Aberta, CIDH)
Pedagogia e utopia em Paulo Freire
Celso Carminati (Universidade do Estado de Santa Catarina)

16H30
SESSÃO PARALELA II (Sala de Atos da Câmara de Alenquer)
Pneumatologia e Escatologia
Presidente de Mesa: Susana Alves-Jesus (Universidade de Lisboa, CLEPUL/Universidade Aberta, CIDH)
Escatologia e Utopia. Secularização da ciuitas Dei? Thomas More e Agostinho de Hipona
António Rocha Martins (Universidade de Lisboa, CF)
“Nas conquistas de Portugal todos são ministro do Evangelho:
Pnematologia vieiriana e Quinto Império
Porfírio Pinto (Universidade Aberta, CIDH)
O Espírito que dá vida. Uma leitura da pneumatologia de Jürgen Moltmann
António Manuel Alves Martins (Universidade Católica Portuguesa, CERC)
“Da escola da sabedoria para a escola do amor”:
a doutrina do Sermão do Espírito Santo do Padre Antônio Vieira
Marcelo Lachat (Universidade Federal do Amapá)
Visionary performances and emotional mobilization
Nora Machado (Universidade Gothenburg)

16H30
SESSÃO PARALELA III (Museu do Vinho)
Recepção do paracletianismo
Presidente de Mesa: Paula Carreira (Universidade de Lisboa, CLEPUL/Universidade Aberta, CIDH)
O Espírito Santo na Teologia de Martinho Lutero
Artur Villares (Instituto Politécnico de Gestão e Tecnologia)
Os portugueses em viagem pelo mundo: Um olhar de relance sobre a Peregrinação de Fernão Mendes Pinto e o encontro de culturas
Carla Luís (Universidade da Beira Interior)
Alexandre Luís (Universidade da Beira Interior)
A reforma das Ordens Religiosas em Portugal: Uma utopia no final do Antigo Regime
Madalena Costa Lima (Universidade Aberta –CIDH/CLEPUL- Universidade de Lisboa)
Natália Correia e a visão Feminina do Culto Popular do Espírito Santo
Artur Manso (Universidade do Minho)

16H30
SESSÃO PARALELA IV (Capela do Espirito Santo)
Misericórdias: Arte e Património II (Painel especializado)
Presidente de Mesa: Lídice Ribeiro (Universidade Presbiteriana Mackenzie)
Misericórdia de Lisboa: Um património a conservar
Margarida Montenegro (Santa Casa da Misericórdia de Lisboa)
Misericórdias: património e identidade
José Augusto Silveira (União das Misericórdias Portuguesas)

16H30
SESSÃO PARALELA V (Auditório do Convento de São Francisco)
Franciscanismo e tradições do Espírito Santos nos Açores (Painel especializado)
Presidente de Mesa: Hélder A. Miranda (Seminário Maior da Diocese de Angra)
Franciscanismo feminino nos Açores
Margarida Sá Nogueira Lalanda (Universidade dos Açores, CHAM)
As Festas do Espírito Santo nas ilhas de Santa Maria, Pico e Corvo
Ana Salvador (Universidade dos Açores)
Beatriz Lalanda
As Festas do Espírito Santo nas ilhas de São Miguel, Terceira e Flores
Jessica Barbosa (Universidade dos Açores)
Inês Lalanda
As Festas do Espírito Santo nas ilhas do Faial, S. Jorge e Graciosa
Viviana Vieira (Universidade dos Açores)
Narrativas de Religiosidade Popular das Festas do Espírito Santo de Ponta Delgada: a Memória e a Identidade em diálogo com o Turismo Cultural
Miguel Brilhante (Universidade dos Açores)
As Festas do Espírito Santo na Fazenda de Santa Cruz, ilha das Flores
Sara Nóia (Universidade dos Açores)
As Festas do Espírito Santo da Vila de Rabo de Peixe, ilha de São Miguel
Sónia Moniz (Universidade dos Açores)
As Festas do Espírito Santo nos Açores e as suas inter-acções com o Turismo
Paula Campos (Universidade dos Açores)

16H30
SESSÃO PARALELA VI (Museu João Mário)
Vivências e ritualidades do Espírito Santo no Brasil
Presidente de Mesa: Valmir Muraro (Universidade Federal de Santa Catarina)
“O melhor da Festa é esperar por ela”:
A devoção popular ao Espírito Santo que o clero não percebe em Santa Catarina
Sérgio Luiz Ferreira (Universidade Federal de Santa Catarina)
O pouso do Divino sobre as águas do rio Tietê: A festa do Espírito Santo de Laras (SP)
Neusa de Fátima Mariano (Universidade de São Paulo)
A Influência do Império do Divino Espírito Santo na Concepção Política do Império do Brasil por José Bonifácio de Andrada e Silva
Loryel Rocha (Instituto Mukharajj Brasilan)
A festa do Divino Espírito Santo no Sul do Brasil: Subsídio para o estudo das crenças e das manifestações deste fenómeno
Eloisa Ramos (Unisinos)
A festa do Divino Espírito Santo em Gravataí/Rio Grande do Sul como espaço de representação
Jairton Ortiz da Cruz (Unisinos)

16H30
SESSÃO PARALELA VII (Salão Nobre da Câmara Municipal de Alenquer)
Festas do Espírito Santo no Brasil
Presidente de Mesa: Rogério Luiz Souza (Universidade Federal de Santa Catarina)
As acções da Casa do Divino em Ponta Grossa - 2015: Reflexões a partir dos conceitos de território e redes
Elizabeth Johansen (Universidade Estadual de Ponta Grossa)
As Senhoras da Casa dos Açores de São Paulo: laços fraternos na celebração do Bicentenário da Imigração Açoriana no Espírito Santo
Fabiene Passamani Mariano (Instituto Federal do Espírito Santo/Universidade Federal do Espírito Santo)
As práticas religiosas dedicadas ao Divino Espírito Santo ocorridas na cidade de Ponta Grossa/PR (1996-2015)
Maura Regina Petruski (Universidade Estadual de Ponta Grossa)
Vanderley de Paula Rocha (Universidade Estadual de Ponta Grossa)
Da História da Igreja no Brasil e suas implicações com o culto ao Divino Espírito Santo
Célia Silva Jachemet (Unisinos – Universidade do Vale do Sinos)

Debate

21H00
PROGRAMA CULTURAL
Peça de teatro "Uma Rainha em Alenquer", castelo de Alenquer

MANHÃ

09H00
CONFERÊNCIAS (Fórum Romeiras)
FESTAS E TRADIÇÕES DO ESPÍRITO SANTO
Presidente de Mesa: Celso Carminati (Universidade Estadual de Santa Catarina)
Jesuítas: missionação e utopia
Pierre-Antoine Fabre (EHESS-Paris)
Empreender o Combate: Identidade Nacional e Simbolismo do Divino Espírito Santo no Sul da América em tempos de nacionalização.
Rogério Luiz Souza (Universidade Federal de Santa Catarina)

10H30
CONFERÊNCIA DE ENCERRAMENTO (Fórum Romeiras)
Presidente de Mesa: Pedro Folgado (Câmara de Alenquer)
Cultura do Espírito Santo: dar lugar carnal à utopia
D. Manuel Clemente (Patriarca de Lisboa)

12H00
CELEBBRAÇÃO PRESIDIDA PELO SENHOR CARDEAL PATRIARCA DE LISBOA

13H00
Almoço de confraternização com conferencistas e participantes
Contará com a atuação do Grupo Musical Nau Catrineta

Curso de Formação acreditado pelo CCPFC, com os n.º 87089/16, 87090/16 e 87091/16, para os grupos 200, 210, 220, 290, 300, 400 e 410


  1. INSTITUIÇÕES PROMOTORAS

    CÂMARA MUNICIPAL DE ALENQUER
    CONFRARIA DA RAINHA SANTA ISABEL de COIMBRA

  2. INSTITUIÇÕES PROMOTORAS ASSOCIADAS

    Reitoria da Universidade de Coimbra
    Reitoria da Universidade Aberta
    Reitoria do ISCTE - IUL


  3. INSTITUIÇÕES CIENTÍFICAS COORDENADORAS

    Centro de Estudos Clássicos e Humanísticos
    Centro de História da Sociedade e da Cultura
    CIDH – Universidade Aberta / CLEPUL da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa/APCA/IAC
    Instituto Europeu de Ciências da Cultura Padre Manuel Antunes


  4. INSTITUIÇÕES CIENTÍFICAS E CULTURAIS ASSOCIADAS

    Academia Portuguesa da História
    ALENCULTA, Associação Cultural do Concelho de Alenquer
    Alto Comissariado para as Migrações
    Associação Portuguesa de Estudos Neolatinos
    Centro Académico de Democracia Cristã (C.A.D.C)
    Centro de Estudos de Filosofia da Universidade Católica Portuguesa
    Centro de Estudos de História do Altântico (CEHA)
    Centro de História de Aquém e de Além-Mar (UNL/UAç)
    Centro de Teoria e História do Direito da Universidade de Lisboa
    Centro Interuniversitário de Estudos Camonianos
    Centro Nacional de Cultura
    Ciências das Religiões Universidade Lusófona
    CIRP - Conferência dos Institutos Religiosos de Portugal
    Comissão das Festas do Império do Divino Espírito Santo de Alenquer
    Grupo de História da Filosofia do Centro de Filosofia (FLUL)
    Instituto de História e Arte Cristã (Arquidiocese de Braga)
    Instituto Português de Santo António
    Santa Casa da Misericórdia de Aldeia Galega da Merceana
    Santa Casa da Misericórdia de Coimbra
    Santa Casa da Misericórdia de Viseu
    Secretaria Regional da Educação e Cultura da RAA
    Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura
    Sociedade Brasileira de Retórica
    Sociedade Portuguesa de Estudos Medievais
    Sociedade Portuguesa de Retórica
    União das Misericórdias Portuguesas
    Universidade dos Açores


  5. INSTITUIÇÕES PATROCINADORAS

    Associação Mutualista Montepio
    Caixa de Crédito Agrícola
    Casa Santos Lima
    CLEPUL - Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa
    Confraria do Café
    Delta
    Direção Regional das Comunidades da RAA
    Europastry
    Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra
    Fundação Calouste Gulbenkian
    Fundação Millennium BCP
    Luis Simões
    Santa Casa da Misericórdia de Lisboa
    Quinta das Lágrimas
    Turismo do Centro
    Vimeiro


  6. COMISSÃO DE HONRA

    Presidente da República
    Presidente da Assembleia da República
    Cardeal Patriarca de Lisboa
    Presidente do Governo Regional dos Açores
    Secretário Regional da Educação e Cultura da Região Autónoma dos Açores
    Núncio Apostólico
    Presidente da Conferência Episcopal Portuguesa
    Bispo da Diocese de Angra do Heroísmo
    Bispo da Diocese de Coimbra
    Bispo da Diocese do Funchal
    Reitor da Universidade Aberta
    Reitor da Universidade da Madeira
    Reitor da Universidade de Coimbra
    Reitor da Universidade dos Açores
    Reitor do ISCTE
    Reitora da Universidade Federal de Santa Catarina
    Presidente da Academia Portuguesa da História
    Presidente da Câmara Municipal de Alenquer
    Presidente da Câmara Municipal de Lisboa
    Prefeito do Conselho Pontifício da Cultura
    Directora da Biblioteca Nacional
    Director da Torre do Tombo
    Presidente da Fundação para a Ciência e a Tecnologia
    Presidente da Conferência dos Institutos Religiosos de Portugal
    Superior Provincial da Ordem dos Frades Menores
    Presidente do Instituto Açoriano de Cultura
    Presidente da Agência para a Promoção da Cultura Atlântica
    Presidente da Fundação Calouste Gulbenkian
    Reitor do Instituto Português de Santo António
    Presidente da União das Misericórdias
    Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Alenquer
    Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Castelo Branco
    Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Castelo de Vide
    Provedor da Santa Casa de Misericórdia de Coimbra
    Provedor da Santa Casa da Misericórdia do Porto
    Provedor da Santa Casa de Misericórdia de Lisboa
    Provedora da Santa Casa da Misericórdia de Aldeia Galega da Merceana


  7. COMISSÃO CIENTÍFICA

    Presidente: António Manuel Ribeiro Rebelo (Universidade de Coimbra)
    Adelino Cardoso (Universidade Nova de Lisboa)
    Albano Figueiredo (Universidade de Coimbra)
    Alberto Vieira (CEHA - Centro de Estudos de História do Altântico)
    Ana Maria Rodrigues (Universidade de Lisboa)
    Ana Paula Avelar (Universidade Aberta)
    Anderson Vargas (Universidade Federal do Rio Grande do Sul)
    André Vauchez (Académie des Inscriptions et Belles-Lettres)
    Annabela Rita (Universidade de Lisboa)
    António Filipe Pimentel (Universidade de Coimbra)
    António Moniz (Universidade Nova de Lisboa)
    António Pedro Sangreman Proença Marcelino Mesquita (Universidade de Lisboa)
    Armando Martins (Universidade de Lisboa)
    Arménia Maria de Souza (Universidade Federal de Goiás)
    Avelino de Freitas Meneses (Universidade dos Açores)
    Belmiro Fernandes Pereira (Universidade do Porto)
    Bernardo Vasconcelos e Sousa (Universidade Nova de Lisboa)
    Carlos Aurélio Ventura Morujão (Universidade Católica Portuguesa)
    Carlos Fiolhais (Universidade de Coimbra)
    Carlos Moreira Azevedo (Universidade Católica Portuguesa)
    Carlota Maria Lopes de Miranda Urbano (Universidade de Coimbra)
    Cécile Vincent-Cassy (Universidade de Paris XIII)
    Celso Carminati (Universidade do Estado de Santa Catarina)
    Daniela Marcheschi (Universidade Florença)
    Delfim Leão (Universidade de Coimbra)
    Edgard Leite Ferreira Neto (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)
    Ernesto Rodrigues (Universidade de Lisboa)
    Fátima Reis (Universidade de Lisboa)
    Fátima Sá (ISCTE-IUL)
    Fernanda Enes (Universidade Nova de Lisboa)
    Francisco Senra Coelho (Universidade Católica Portuguesa)
    Giulia Rossi Vairo (Universidade Nova de Lisboa)
    Guilherme d’Oliveira Martins (Centro Nacional de Cultura)
    Hélder Fonseca Mendes (Diocese de Angra do Heroísmo)
    Henrique Manuel Pereira (Universidade Católica Portuguesa)
    Irene Maria Vaquinhas (Universidade de Coimbra)
    Isabel dos Guimarães Sá (Universidade do Minho)
    Jacinto Farias (Universidade Católica Portuguesa)
    João David Pinto-Correia (Universidade de Lisboa)
    João Paulo Oliveira e Costa (Universidade Nova de Lisboa)
    Jorge Bastos da Silva (Universidade do Porto)
    José António de Camargo Rodrigues de Souza (Universidade Federal de Goiás)
    José Carlos Lopes de Miranda (Universidade Católica Portuguesa)
    José Carlos Seabra Pereira (Universidade de Coimbra)
    José Facinto Farias (Universidade Católica Portuguesa)
    José Ignacio Ruiz Rodrigues (Universidade de Alcalá de Henares)
    José Marques (Universidade do Porto)
    José Mattoso (Universidade Nova de Lisboa)
    José Paulo Leite de Abreu (Universidade Católica Portuguesa)
    José Pedro Paiva (Universidade de Coimbra)
    Juan Ignacio Pulido Serrano (Universidade de Alcalá)
    Lourdes Cidraes (Universidade de Lisboa)
    Luis Eduardo Oliveira (Universidade Federal de Sergipe)
    Luís Machado de Abreu (Universidade de Aveiro)
    Manuel Augusto Rodrigues (Universidade de Coimbra)
    Manuel Clemente (Universidade Católica Portuguesa)
    Manuel Gomes Barbosa (CIRP)
    Maria de Fátia Reis (Universidade de Lisboa)
    Maria Helena da Cruz Coelho (Universidade de Coimbra)
    Maria José Azevedo Santos (Universidade de Coimbra)
    Maria Margarida Lopes de Miranda (Universidade de Coimbra)
    Mário Avelar (Universidade Aberta)
    Miguel Real (Universidade de Lisboa)
    Nair de Nazaré Castro Soares (Universidade de Coimbra)
    Onésimo Teotónio de Almeida (Universidade de Brown)
    Paulo de Assunção (Universidade Estadual do Maringá)
    Pedro Flor (Universidade Nova de Lisboa)
    Paulo Mendes Pinto (Universidade Lusófona)
    Pedro Caridade Freitas (Universidade de Lisboa)
    Pierre-Antoine Fabre (École des Hautes Études en Sciences Sociales de Paris)
    Rogério Luiz de Souza (Universidade Federal de Santa Catarina)
    Sandra Saldanha (Secretariado Nacional dos Bens Culturais da Igreja)
    Saul António Gomes (Universidade de Coimbra)
    Sebastião Tavares de Pinho (Universidade de Coimbra)
    Tony Neves (Universidade Católica Portuguesa)


  8. COMISSÃO ORGANIZADORA

    Presidente: José Eduardo Franco (Universidade Aberta/CLEPUL)
    Aida Lemos (Universidade Aberta)
    Anamarija Marinovic (Universidade de Lisboa)
    António Manuel Ribeiro Rebelo (Universidade de Coimbra)
    Arijana Medvedec (Universidade de Lisboa)
    Artur Manso (Universidade do Minho)
    Beata Cieszynska (Universidade de Lisboa)
    Carlos Fonseca Clamote Carreto (Universidade Aberta)
    Carlota Maria Lopes de Miranda Urbano (Universidade de Coimbra)
    Filipe Rogeiro (Câmara Municipal de Alenquer)
    Florentino B. Franco (Instituto Europeu de Ciências da Cultura PMA)
    João Relvão Caetano (Universidade Aberta)
    José Bernardino (Universidade de Lisboa)
    José Carlos Lopes de Miranda (Universidade Católica Portuguesa)
    Luís Pinheiro (Universidade de Lisboa)
    Luísa Paolinelli (Universidade da Madeira)
    Maria José Azevedo Santos (Universidade de Coimbra)
    Maria José Figueiredo (Universidade de Lisboa)
    Maria Margarida Lopes de Miranda (Universidade de Coimbra)
    Milton Dias Pacheco (Centro Interuniversitário de Estudos Camonianos / Confraria da Rainha Santa Isabel)
    Nuno Santos Alexandre (Comissão das Festas do Império do Divino Espírito Santo de Alenquer)
    Patrícia Monteiro (Universidade de Lisboa)
    Paulo Rocha (Universidade de Lisboa)
    Paula Carreira (Universidade de Lisboa)
    Ricardo Ventura (Universidade de Lisboa)
    Rita Balsa Pinho (Universidade de Lisboa)
    Rui Costa (Câmara Municipal de Alenquer)
    Rui Rego (Universidade de Lisboa)
    Susana Alves-Jesus (Universidade de Lisboa)


  9. COMISSÃO COORDENADORA EXECUTIVA

    Joana Balsa de Pinho (CLEPUL-Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa)
    Carlos Granadas (Câmara Municipal de Alenquer)
    Filipa Marisa Gonçalves Medeiros Araújo (Confraria da Rainha Santa Isabel)


  10. SECRETARIADO EXECUTIVO

    Cristiana Lucas da Silva (Universidade Aberta-CIDH/CLEPUL)
    Carla Pires (Câmara Municipal de Alenquer)
    Bruno Alexandre Sampaio Lobo (Confraria da Rainha Santa Isabel)
    Catarina Pereira (Universidade Aberta-CIDH/CLEPUL)
    José Bernardino (Universidade Aberta-CIDH/CLEPUL)
    Lina Oliveira (Universidade Aberta-CIDH/CLEPUL)
    Madalena Costa Lima (Universidade Aberta-CIDH/CLEPUL)
    Renato Pistola (Universidade Aberta-CIDH/CLEPUL)
    Ricardo Pessa de Oliveira (Universidade Aberta-CIDH/CLEPUL)
    Sara Abreu (Universidade Aberta-CIDH/CLEPUL)
    Vanda Figueiredo (Universidade do Minho/Universidade Aberta-CIDH)


Alojamento em Alenquer


QUINTA DO COVANCO

Endereço: Estr. da Várzea, 2580-376 Alenquer
Telefone: 263 730 570
Email: geral@quintadocovanco.net

QUINTA DE SÃO MARTINHO

Endereço: 2580-627 Alenquer
Telefone: 933 238 866
Email: info@quintasaomartinho.net

HOSPEDARIA SANCHES

Endereço: R. Joaquim Falé 3, Alenquer
Telefone: 263 733 051
Email: tixasanches@hotmail.com

LEZÍRIA PARQUE HOTEL

Endereço: Av. Barranco de Cegos 22, 2600-214 Vila Franca de Xira
Telefone: 263 276 670
Email: reservaslph@continentalhotels.eu

Mais informações sobre estes alojamentos no Portal de Tursimo de Alenquer


Mapa de Alenquer

Descarregue aqui o mapa com a localização dos espaços onde decorrerão as sessões do congresso em Alenquer

Nota: a organização do congresso assegurará as deslocações entre estes locais de alojamento e os locais de realização das sessões do congresso em Lisboa e Alenquer. Os participantes que necessitarem de transporte deverão enviar um email para o secretariado executivo do congresso, indicando os respetivos dias, para o endereço: congresso.espiritosanto.2016@gmail.com


Contactos

Endereço da Coordenação Executiva:
INSTITUTO EUROPEU DE CIÊNCIAS DA CULTURA PADRE MANUEL ANTUNES – IECCPMA
Praceta João XXI, n.º 17, 1º Esq
2775-511 CARCAVELOS

Email: congresso.espiritosanto.2016@gmail.com
Tel.: 966 754 980

Entre em contacto connosco
Obrigado pela sua mensagem.
Ocorreu um erro com a sua mensagem.






Powered by Switx